sexta-feira, 5 de agosto de 2016

Um convite sincero

“Escutem! Eu estou à porta e bato. Se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, eu entrarei na sua casa, e nós jantaremos juntos” (Apocalipse 3:20)

Os convites para homens virem a Cristo mais proeminentes na América são estes: “Deus te ama e tem um plano maravilhoso para sua vida”. “Você sabe que é um pecador?”, “Você quer ir para o céu?”, “Você quer orar e pedir para que Jesus entre em seu coração?”, “Ele entrou em seu coração quando você orou?”, “Você foi sincero?”, “Agora você é um Cristão. Bem-vindo à família de Deus!”.

Eu digo que isso é como um bezerro sagrado, um bezerro de ouro, e, na comunidade evangélica de hoje, eu sou mais atacado por isso do que por qualquer outra coisa. Mas, eu lhes asseguro: isso não é linguagem bíblica e não se encontra na maior parte da história Cristã. Este método sem o qual não conseguimos evangelizar não é nem bíblico nem histórico, e tem exatamente nos conduzido àquilo de que tanto nos queixamos.

A maior parte dos Estados Unidos da América se declara “nascida de novo” e não o é. O maior campo de evangelismo atualmente encontra-se nos edifícios da igreja. Não quero dizer que se encontra nas igrejas — porque todos na igreja são verdadeiramente convertidos — mas nos edifícios das igrejas. Você diz: “Oh, nós temos muitas igrejas, irmão Paul”. Não! Nós temos um grupo enorme de lindos edifícios de tijolos com belos jardins, mas a glória de Deus se tem apartado deles e o nome “Icabode” será escrito na fachada de suas portas.

Vejamos este convite: “Deus te ama e tem um plano maravilhoso para sua vida”. Muitas vezes, isso vem acompanhado por uma explicação de tudo o que Jesus pode fazer pela pessoa. Consertar sua vida, seu matrimônio, suas finanças, sua autoestima. Mas, considere tudo o que nós conhecemos sobre o pecador: é egocêntrico, independente, quer fazer sua própria vontade, quer realizar seus próprios sonhos, e está apaixonado por si mesmo. Então, você chega até este homem e diz: “Deus te ama e tem um plano maravilhoso para sua vida”. E ele diz: “O quê? Deus me ama?! Isso é fantástico! Eu também me amo! Que bom, isso é maravilhoso! E você ainda está dizendo que Ele me ama mais do que eu me amo? Bem, isso soa impossível. Como pode ser que alguém tenha um amor tão grande assim? E Deus tem um plano maravilhoso para minha vida!? Oh! Eu também tenho um plano maravilhoso para minha vida também! E você está me dizendo que, se eu aceitar esse Jesus, Ele vai me ajudar com todos os meus planos maravilhosos e eu posso ter ‘Minha Melhor Vida Agora’”?! “Sim!”. “Bem, então eu aceitarei a um deus assim! Você tem mais dois desses?”

Você enxerga isso? Eles dizem: “Irmão Paul, não é isso o que queremos dizer”. Mas é assim que se entende. Dizem-me: “Paul, você é muito duro. Cheio de sarcasmo”. Sim, eu sou. Mas, veja, todos estão lamentando o fato de que este país crê que é salvo quando não é mais salvo do que... Ele está perdido — como dizem no Alabama — como uma bola em grama alta. Mas, ninguém quer dizer qual é o problema, e o problema é que, ainda que preguemos o Evangelho corretamente, usamos este método de convidar os homens que não é nem bíblico e nem histórico! Fazemos com que pulem alguns degraus evangélicos, e digam “Sim” às perguntas apropriadas, e, logo de forma papal, os declaramos salvos! E, quando creem nessa mentira religiosa, dada por uma autoridade religiosa, se alguém vem depois e tenta pregar o Evangelho a eles — porque estão vivendo no mundo —, eles não escutarão, porque a mentira religiosa tem muito poder.

Então, a pergunta seguinte: “Você sabe que é um pecador?” E, muitas vezes, essa pergunta não é feita com muita seriedade. É mais ou menos como: “Ouça, você sabe que todos nós somos pecadores, não é?” E se a pessoa diz: “Sim, eu sei que sou um pecador”. A pergunta seguinte é: “Você quer ir para o céu?”, “Sim, sim eu quero!”. “Então, gostaria de orar e pedir a Jesus que entre em seu coração? Só levará 5 minutos”. “Somente 5 minutos?”, “Sim”. Porque a Bíblia diz: “mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que creem no seu nome” (João 1:12). “Se com a tua boca confessares ao Senhor Jesus, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo” (Romanos 10:9). “Eis que estou à porta, e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo” (Apocalipse 3:20). “Então, você gostaria de receber a Jesus? Porque é isso o que diz a Bíblia”. “Só vai levar 5 minutos?” — Só 5 minutos, claro! Então, em seguida, geralmente depois que uma pessoa ora ou é guiada em uma oração pelo evangelista, lhe é assegurado que, se foi sincera, Jesus entrou definitivamente em seu coração, porque Ele prometeu que o faria e, se não entrou, Ele é um mentiroso, já que ela foi sincera.

Quantas pessoas que você conhece, creem que vão para o céu, não porque confiam muito em Cristo, mas sim no grau de sinceridade que tiveram na decisão que tomaram há muito tempo? Muitas vezes, depois de uns poucos minutos de aconselhamento, eles são imediatamente apresentados diante da igreja, e receberam as boas vindas dentro da família de Deus — Estou equivocado? — Vão à frente, já vi isto muitas vezes, são levados a um conselheiro que foi treinado em uma forma de aconselhamento compacto, falam com eles de 5 a 10 minutos enquanto seguem com o apelo, e são imediatamente apresentados diante da igreja: “nosso novo irmão ou irmã em Cristo”. E essa é a última vez que a maioria deles vai receber aconselhamento sobre sua conversão em toda sua vida.

E depois, o que acontece? Se eles nunca cresceram, ou se eles duvidarem de sua salvação, são levados outras vezes àquele dia no qual oraram e são indagados acerca da sinceridade da sua decisão. Se, em algum momento, eles vão de novo ao pastor duvidando de sua salvação, ele os levará de novo àquele dia e lhe dirá: “Bem, alguma vez você orou e pediu para Jesus entrar no teu coração?”, “Sim”. “Você foi sincero?”, “Creio que sim”, “Então, é só o Diabo que está tentando-o”. Se eles nunca crescerem nas coisas de Deus, a falta de crescimento é atribuída à falta de discipulado ou à doutrina do cristão carnal.

No próximo texto vou dizer porque o convite bíblico correto é este: “Ele [Jesus] dizia: - Chegou a hora, e o Reino de Deus está perto. Arrependam-se dos seus pecados e creiam no evangelho” (Marcos 1:15)

Por Paul David Washer

Nenhum comentário:

Postar um comentário